Pensamentos Aleatórios

Repleta de conflitos tanto externos como internos, ergo os olhos, enxergo o futuro que está esperando por mim, e não me deixo abalar pelos tropeços que encontrarei pelo caminho. Fazem parte do processo de evoluir. Evoluir como ser humano, que pensa, fala, discute, erra, mas que principalmente, não tem medo, porque sabe que nunca estará sozinha.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Esconderijo


Blocos de concreto sugam a felicidade
Enquanto o medo transparece no tremor das mãos;
Aqui o sol não surge na aurora
E a única luz que vemos
É aquela quando fechamos nossos olhos.


Nossas bocas sedentas;
De um pouco de água,de alimento,de coragem,
Enquanto nossos corações
Necessitam apenas de esperança
Para continuar batendo.

Presos a um quarto escuro
Onde só nos resta rezar;
Para que a mente não estremeça,
E fraqueje a ponto de nos assassinar.


A palidez de nossa pele
E o vermelho de nossos olhos
Contrastam com a escuridão dos pensamentos;
E o que nos era importante,
Agora parece superficial e impensável.


Antes o que queríamos era viver,
Mas a palavra de ordem agora é apenas
Sobreviver.


(Um dos poemas que tive como inspiração um sonho que tive, em que eu e mais um amigo, estávamos vivendo em cárcere privado.Vocês irão ver ao longo do tempo que, a maioria das minhas inspirações, foram tiradas de sonhos que tive.Bons ou Ruins.)

terça-feira, 26 de maio de 2009

Pelo direito de falar!


Começando pelo meu primeiro post nesse blog, como vocês já viram pelo título, o que eu pretendo escrever por aqui é simplesmente o que eu não falo em voz alta. Talvez porque eu não queira falar, ou porque eu não sei falar. Muitos já me disseram que as palavras que saem da minha boca são ridículas e irritantemente grosseiras, mas as palavras que saem da minha mão e da caneta, são as que podem me caracterizar. Não gosto de falar, me torna uma pessoa vazia, pois, palavras faladas são vazias, são jogadas ao vento. Mas a escrita, é infinita. E eterna.
Por isso, logo que aprendi a ler e escrever, tenho colocado numa folha de papel toda a minha vida, toda uma história, através da poesia, das redações da escola, ou até em anotações feita em uma agenda.

Pode ser estranho falar isso, mas, parece que o papel e a caneta são meus únicos amigos. Não que eu esteja dizendo que não tenho amigos, sou anti-social etc, mas é que parece que só eles dois me entendem. Acho muito estranho quando alguém não consegue escrever uma redação, ou então uma frase sequer. Como, por exemplo, no meu colégio, onde sempre tivemos que fazer redações a cada semana. Eu às vezes leio alguma e sinto duas coisas : A primeira,é quando uma pessoa escreve mal, não sabe o que escrever, poe qualquer coisa na redação, e fala que é só pra ganhar nota. Sinceramente, eu sinto que quero voar no pescoço dessas pessoas, que desperdiçam as palavras, porque fica UM LIXO a redação, parece aqueles textozinhos que uma criança de 2ª série faz.E eu ainda tenho que sorrir e falar que tá ótimo. Pura ironia. A segunda é, quando uma pessoa até escreve bem, mas de tanto que quer impressionar, acaba forçando e saindo um lixo também. Esse tipo de pessoa só usa as palavras pra impressionar, pra mostrar pros outros que sabe escrever. Mas o que importa saber escrever, mas não saber colocar algum sentimento naquilo que escreve. Sinto nojo dessas pessoas . Uma vez, me pediram pra ler a redação de um ai. Meu Deus, me senti tão desconfortável e revoltada lendo aquilo. Era um nojo, ela colocava palavras nas quais nem sabia o significado, mas colocava para se sentir mais importante e parecer que escreve muito bem. Fez um final trágico, daqueles previsíveis. Tive vontade de falar "Fulano, se mata. Que lixo. Quer pagar uma de escritor,mas não sabe que você não é com s". Tá,essa tiradinha foi uma tirada cult, a maioria vai achar ridiculo - FATO. D:

Mas então, com tudo que eu leio daqueles alunos, eu vejo que a escrita não é tão importante da vida deles tanto quanto é na minha. Talvez porque seja a falta de interesse, ou talvez a falta de oportunidade, ou talvez seja porque o Brasil é um lixo que a maioria da população não sabe ler nem escrever, a minoria que sabe, usa pra ficar no MSN, mandando bilhete na sala de aula, ou pra fazer qualquer tipo de coisa inútil.
Fico impressionada com o fato de que os adolescentes não leem quase nenhum livro. Enquanto eu leio uns 7,10 por ano(o que considero pouco ainda), grande parte das pessoas que eu conheço não lê 1,2 ou aé nenhum por ano. Conclusão : alunos que estão no 1º ano do Ensino Médio e não sabem que "a gente" é separado e que "acho" é com "ch", não com "sh". Bom,mas agora temos aqueles grandes livros de cultura de massa - Falem o que quiser, mas vocês nunca poderão discordar que é cultura de massa sim - como Harry Potter, Crepúsculo e Gossip Girl. Bom, é cultura de massa, não irá adicionar grande coisa na minha vida.

Porém, aí tem uma questão muito interessante : Por mais que seja modinha essas coisas, o bom é que todo mundo lê. E quem nunca leu um livro inteiro na vida, por causa dessa moda, passa a ler. Então, a modinha pode até ser desfavorável em um certo ponto, mas essa moda de livros em massa é favorável devido ao fato de que mais adolescentes agora estão lendo mais e mais livros. Isso é bom, pois assim teremos adultos mais espertos, inteligentes e menos panacas espalhados por esse país.

Falando em modinha, e aproveitado o assunto do momento, que eu não paro de ouvir na TV, as pessoas falando, é da banda de Pop Rock Jonas Brothers.
Tá,sou suspeita pra falar deles, porque sou fã e etc. Mas deixando esse lado de fã alucinada, vamos falar sobre eles e a polêmica que eles fazem. Muita gente já falou pra mim que daqui há 1 ano, ninguém mais irá saber quem são eles. Porém, não creio nisso. Apesar de serem bons moços, eles têm ao lado deles uma empresa muito forte - A Disney. Fora isso, eles ganham muito - MUITO mesmo - com que eles vendem. E é mesmo assim : eles lançam todo tipo de produto, como CDs, DVDs, roupas, filmes, shows etc. E as fãs, que são na maioria - pra não dizer todas - adolescentes, compram, gastam tudo o que tem pra ter o novo CD deles, que é lançado a cada ano.

Bom, tirando o fato de que eles querem ganhar dinheiro - isso dá pra ver pelas roupas, carros e mansões compradas no Texas por eles - existe uma coisa que chama muito a atenção neles: o jeito politicamente correto da família Jonas.Para quem não sabe, os Jonas são evangélicos (não tenho certeza se são evangélicos,pois já vi o Nick usando uma medalha de Ns. Senhora.), e os três seguem sua religião à risca. Seu pai era pastor e ele e sua mãe viajavam pelos EUA pra construir igrejas, etc.Então,eles sempre tiveram a religião em torno de suas vidas. E por isso, Kevin, Joe e Nick não fumam, não bebem e segue o exemplo mais polêmico, que pra mim é o maior gesto diferencial deles - o famoso anel de pureza. Ou seja, eles têm que manter a castidade até o casamento.

Muitos falam que é jogada de marketing, porém eu prefiro acreditar que eles fazem isso mesmo, pois, é diferente ver uma banda de Rock, fazer esse tal ato.Mas, ainda mais por eles fazerem numa época, em que adolescentes só pensam em sexo, e que meninas de 14,13 e até 10 anos já são mães. O exemplo deles, pra mim, é mais importante que qualquer outra coisa que eu admiro neles. Quem disse que ser politicamente correto é ser uma pessoa chata anti social e ridícula? Quem disse que pra seguir sua religião você tem que ser uma madre, um santo e deixar de viver? E quem disse que pra ser feliz você tem que sair por aí, bebendo, fumando, usando drogas e sendo promíscuo? Os Jonas Brothers estão aí pra provar que uma pessoa pode ser divertida, aproveitar a vida sem destruí-la. E sempre quando penso em fazer algo errado, eu lembro deles, do exemplo que eles me dão, de que eu posso ser feliz sem aceitar as migalhas que o mundo me oferece.

Enfim, não sei como terminar isso, porque eu começei escrevendo sobre palavras, e acabei em Jonas Brothers. Acho que posso terminar dizendo que, tudo que você quer falar, fale. Não importa quantos irão te escutar, não importa o que o mundo vai achar. Fale, critique, duvide, descorde, concorde, lute,enfim, questione. Pois, como dizia Platão, " Uma vida não questionada não merece ser vivida."