Pensamentos Aleatórios

Repleta de conflitos tanto externos como internos, ergo os olhos, enxergo o futuro que está esperando por mim, e não me deixo abalar pelos tropeços que encontrarei pelo caminho. Fazem parte do processo de evoluir. Evoluir como ser humano, que pensa, fala, discute, erra, mas que principalmente, não tem medo, porque sabe que nunca estará sozinha.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Quem tem medo do lobo mau?

Me desculpem pela foto tão sombria e pelo título tão idiota.Mas é que eu não estou com muitos argumentos para construir uma dissertação ao menos razoável.

Hoje, saindo da escola, soube que meu cachorro, que viveu a infância inteira comigo, estava morto.Convulsão, ataque cardiorrespiratório, baixa resistência, NÃO SEI. E procuro não querer mais saber.

Nunca me importei com mortes. Para mim, estar em um velório é mais um dia de ficar sem fazer nada, passando horas sem comer, e andar pelo cemitério para ocupar o tempo. Nunca chorei em velórios, nunca senti tristeza neles, para falar a verdade, eu nunca me importei com isso. Até que há 2 anos atrás minha avó faleceu. De repente, do nada. Um dia estava bem, tinha saído da UTI, no outro dia, estava sem vida. Foi a partir deste dia que eu começei a entender o que significava realmente um velório.

Naquele dia, me senti sufocada, prestes a explodir. Querendo que tudo aquilo acabe e que isso não seja verdade.Vi minha avó lá, linda. Mas sem a sua alegria, sem o seu sorriso, sem a luz...Sem a vida.Nessa hora, quis desabar no chão, implorar inutilmente para ela não ir, e chorando, chorando, e vendo os outros chorarem, me dava mais vontade de chorar, tamanho era o remorso de não ter dado todo o amor e atenção a ela.

Agora, quando vem uma morte na minha vida, eu não reajo mais com toda aquela calma que reajia antes; pelo contrário, eu choro, e sinto remorso do que eu não fiz e sim, poderia ter feito.

Será que a morte é tão ruim assim? Eu sempre penso: para os que vão, é a certeza de toda uma vida cheia de dúvidas, de questionamento, é o fim do sofrimento, é ter vida plena por toda a eternidade. Mas, para quem fica, é torturante. A saudade, o sofrimento, a tristeza, o remorso e a solidão contaminam a alma, tomando o lugar da felicidade, da esperança e daquela sensação de coração cheio.

A morte, é um tema muito complexo. Porque existem muitos que acreditam que a morte é o fim da vida. Para mim, que sou cristã católica, acredito que a morte é só a passagem desta vida para a vida eterna, para um lugar onde não há sofrimentos, decepções, e esse mundo cruel em que vivemos. Para mim, a morte é sim, um acontecimento muito doloroso para quem fica. Mas pense para quem vai: uma vida eterna de felicidades.

E é assim que eu consigo superar todos esses fatos da minha vida, com a morte de várias pessoas e animais queridos(sim, considero mais os animais que certas pessoas, admito). Então, se você está sofrendo por alguém que já tenha partido, pense que ele está num lugar ZILHÕES de vezes melhor que esse mundo grotesco, e que ela nunca quis e não quer te ver chorando e sofrendo - ainda mais por ela. Lembre-se que um dia todos nós estaremos reunidos de novo. E que a esperança é o que move as pessoas felizes.

Meu lindo cachorro, que morreu hoje, de ataque cardiorrespiratório. Haha, ele tá meio sujinho aí, e a luz tá meio estranha da foto. Mas é a foto que mais me lembra dele.

E a da direita, a minha avó querida, que faz 2 anos que morreu. Coloquei essa foto porque ela está linda nela!





A morte é apenas a passagem desta vida para uma feliciade eterna. Sempre lembre disso.


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Falling in love. Milagre ou destino?


Nunca me senti tão viva e tão feliz em toda minha vida. Ok, exagero. Mas eu não permaneço assim faz um bom tempo.
E adivinhem porque do motivo da minha alegria... Estou apaixonada!

E sabem, como eu vivo dizendo, isso, de cair de amores por um cara, para Isabella Tortorelli, é um milagre que deveria ser recordado e gravado como documentário do Discovery Channel.

Faz muito tempo que eu não me apaixono desse jeito, de ficar pensando o dia todo nele, de querer ficar o tempo todo conversando com ele, de ficar neurótica quando ele não vem falar comigo, ou com ciúmes quando outra menina conversa com ele.AH, to me sentindo uma menininha boba falando assim.

Mas é a pura verdade. Eu penso nele o dia todo, a cada 5 min vejo meu celular pra verificar se não tem nenhuma ligação perdida dele, ou então fico encarando ele me perguntando se eu ligo ou não ligo, eu fico ansiosa esperando ele ficar online, eu fico nervosa quando ele não fala comigo, pensando que talvez eu tenha feito/falado alguma coisa de errado, e todas essas coisas que todo mundo pensa quando está gostando de alguém.

Mas o detalhe é: eu mal conheço ele direito! E não sei se ele está sentindo a mesma coisa que eu sinto. Não que eu esteja apaixonada psicótica por ele, mas é que ele me faz sentir tão bem, me faz ser tão eu mesma quando falo com ele, ele me faz sentir.. ahnm.. especial.

Ok, chega de melodrama.Acho que o casal grudentinho do ano (Palminha e Thaísa) contagia com sua melação.

E para vocês não falarem que estão perdendo tempo lendo este post, vou fazer algumas perguntas para vocês se questionarem sobre o amor: Você já amou alguém? Já amou alguém tanto assim que se esqueceu de você pra pensar só na pessoa? Você já fez alguma coisa por amor que a sua razão ficou cega? Você acredita em amor à primeira vista? Você já deixou de amar, em apenas, alguns dias, pouco tempo depois? Você já levou meses, anos para esquecer um amor? Você acha que amor acaba? Você sabe discernir amor de paixão? Você já deixou de amar? Mas afinal, você sabe o que é amor, você poderia me explicar o conceito de amor? Você ainda acha que exista amor? Se não, para onde ele foi então?E depois de todas essas perguntas, você ainda acha que ame alguém de verdade?

Eu sei que não é para respondê-las, mas não vou resistir. Aí vai minhas respostas:

Amar, nunca. Me apaixonar, raras; Sim, e esse alguém foi ingrato pelo tanto que eu ajudei.; Sim, quando me apaixono, sempre perco a razão. Só vou achá-la quando é tarde demais; É lógico que acredito. Às vezes, não precisamos dizer nada para nos apaixonar; Nunca deixei de amar em tão pouco tempo. Se aconteceu isso, era porque não amava; Sim, levei 3 anos para esquecer; Não. Amor é para sempre. Por exemplo, você nunca vai deixar de amar sua mãe, seu pai, seus irmãos. Mas paixão vem e passa; Como eu já disse agora, amor é para sempre. Paixão é fogo, acaba logo. Afinal, você não vai casar com o seu namorado quando você tinha 12 anos; Acho que não. De amor amor, por mais que eu não falava com meu pai há 4 anos, eu nunca deixei de me preocupar com ele; Sinceramente, eu não sei o que é o amor. E nunca vou saber até sentir na pele um amor de verdade; Eu ainda acho que existe o amor. Eu sou uma prova viva. Amo tudo que se mova :D; O amor está escondido no fundo dos corações das pessoas, até naqueles em que se tornaram pedra, ou foram consumidos pela ambição e pelo ódio. Eu sei que eu amo. Amo meus pais, meus irmãos, amigos, cachorros e tudo que me faça sentir viva. Meu Deus, acho que essa frase eu peguei em Woodstock.

Já respondi minhas perguntas. Agora, questione a si mesmo. Vale a pena parar para filosofar um pouco sobre o amor, que é um sentimento tão complexo que nem os maiores filósofos da história sabem explicar exatamente.

Mas acho que tenho uma dica para você : Quer saber mais sobre o amor, sobre seu conceito? SINTA-O. Só se arriscando, vivendo grandes aventuras que obtem-se grandes experiências e felicidade plena.


(...)Antes era só um amigo, agora mudou tudo de vez. Será que você sente, tudo que eu sinto por você? Será que é amor? Tá tão difícil de esconder!(...)
Olha o que o amor me faz - Sandy e Júnior

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Alucina-me



Acabou.

O fim das linhas tortas foi cortado
Por uma temida mas esperada espada,
A primavera, o outono,
O verão e o inverno se passaram,
E o que meus modestos sorrisos conseguiram?
Frias e terebrantes palavras,
Que ao saírem de tua boca
Se tornaram um buraco negro em meu peito.

Quis me dizer que todo o tempo,
Foi um tempo vão,
Infrutuoso
Porque não manipula teu veneno
A fim de permanecê-lo em tua boca?

Teu retrato permanece em minha memória,
Mas teus olhos não têm a mesma luz
O teu nome já não faz mais gosto em meus lábios,
Embora permito-me ainda pensar em provar os teus.

Sinto-lhe dizer
Mas estou convicta que
Tua partida é apenas temporária
Tu me conheces por certos indícios,
Posso provar todos os beijos possíveis,
Mas esperarei ansiosamente pelos teus.

domingo, 2 de agosto de 2009

Até onde o fanatismo chega?

Um dia eu estava passando os canais na televisão, e de repente eu parei na MTV, no programa Scrap Mtv, daquela menina que tem o cabelo azul lá, e me chamou a atenção o que ela estava mostrando.
Ela mostrou um site com fotos de pessoas que fizeram tatuagens sobre a nova modinha: Crepúsculo. Não que eu não goste, nem que eu esteja criticando quem gosta da série, mas depois que vocês verem essas imagens, concordarão que modinha tem limites.

Ok, algumas meninas devem estar pensando "ai, que lindo, eu quero uma tatuagem do edward igualzinha bem grande!!!"

Tudo bem, faça. Mas daqui há alguns anos, quando vocês estiverem mais velhas, quando vocês já estiverem casadas, com filhos, imagina que LINDO que vai ser você com essa tatuagem de uma pessoa que ninguém mais lembra. Imagina quando toda essa modinha passar? A tatuagem vai ficar lá na sua pele, até você morrer. Ainda é uma gracinha imaginar uma velha cheia de rugas e pele sobrando com uma tatuagem do tamanho das suas costas de um cara que nem sabe que você existe? Ah, que nojo dessa cena.

Não que esse fanatismo seja ruim. Na verdade, eu também tenho muitos ídolos, e é muito bom você ficar admirando eles. Mas isso tem limites. Até você ter todos os livros, todos os filmes, todas as revistas, milhares de fotos no seu quarto e sonhar que está casando com o cara, tudo bem. Mas virar fanática, gastar todas as horas do seu dia falando disso, e deixar de viver a sua vida e fazer uma coisa definitiva(tipo uma tatuagem), isso já é muito exagero.

Por isso que eu concordo com que a mulherzinha do programa da MTV disse, que uma tatuagem é pra sempre, você tem que escolher bem o desenho, porque isso você não vai poder tirar. Bem, só quem tem grana pra pagar aquele laser.

Então, NÃO faça essa besteira de fazer tatuagens ridículas desse tipo. Você vai se arrepender quando tiver 40 anos e tiver uma Hello Kitty nas costas, ou um vampiro no braço. Acredite em mim.

Pra quem quiser ver mais fotos dessas tatuagens para NÃO fazer, o link é este: http://www.geekologie.com/2009/07/sure_why_not_twihard_tattoo_ga.php

sábado, 1 de agosto de 2009

À procura do Príncipe Encantado


Vocês já devem estar se perguntando(ou nao!) : "Príncipe Encantado? E o post sobre os dias dos namorados, em que ela diz que é insensível e fria?"

Pois é. Acho que dependendo da situação, eu posso ser muito insensível. Mas que, na verdade, não é que eu seja insensível mesmo; o que acontece é que eu tenho váriso problemas à respeito desse assunto.

Baseando nas experiências da minha vida(falando assim, até parece que eu tenho muitas!), eu percebi que acho que eu crio um padrão de pessoa muito fora do comum. Como um príncipe encantado.

Um príncipe encantado, que goste das mesmas coisas que eu, que ouça as mesmas músicas, que goste de ir aos mesmos lugares, que não se importaria de ficar horas esperando na fila do show dos Jonas Brothers(ah, isso é um sonho quase impossível!), e ainda vá no show comigo(mais impossível ainda!), e que queira ir também num movimento político e num churrasco com pagode comigo.E não se importe.

Ok, forcei o do pagode, porque nem eu suporto ficar 8 horas seguidas ouvindo esse tipo de coisa

São coisas supérfulas, como ir ao shopping, ficar em casa vendo filmes, ficar olhando o céu de noite, esse tipo de coisa. Eu sei que são coisas bem ridículas, mas são coisas que eu amo fazer. E coisas que eu gostaria de dividir com alguém, já que agora a maioria das minhas amigas ou estão namorando, ou estão pra namorar.

É, esse post não tem nada de importante que vá adicionar à sua cultura, é mais um desabafo com a situação da minha vida.

Uns me dizem que é só esperar o destino acontecer. Mas que droga, eu odeio ficar parada tendo que esperar algo acontecer. Me falam pra não correr atrás, pra não dar iniciativa... Mas, se eu não fazer alguma coisa, e esperar que o tempo me dê tudo nas minhas mãos, sinceramente eu vou esperar SENTADA e mofando. Ficando pra tia. Ficando pra tia-avó. Pra tia-bisavó. E eu não tenho paciência de deixar as coisas acontecerem, eu vo lá e faço. Se eu quero uma coisa, meu bem, não há quem tire da minha cabeça. O meu problema é persistência, impaciência e ilusão demais.

Sim, ilusão. Um amigo já me disse pra eu parar de ficar tentando fazer na vida real o que acontece em filmes. Ah, só porque eu disse que era pra ele chegar com as flores pra menina, ao invés de alguém entregar? Pode ser que eu assista muitos filmes, e que eu sonhe com amores impossíveis. Tá, eu sonho DEMAIS com amores impossíveis. Mas que menina nunca sonhou em poder ter um príncipe encantado como Nick Jonas ou Taylor Lautner nas mãos?

Não que eu fique sonhando em ter eles, e só eles. É que, ahnm, não sei. É porque eles parecem perfeitos demais, um tipo certo que eu sempre sonhei pra mim. E parece que quando eu volto pra vida real, eu não encontro pessoas desse jeito. Eu sei que nunca vou encontrar pessoas perfeitas, e que nunca vão ser idênticas a eles. Mas então, por causa disso eu tenho que namorar e casar com um pagodeiro capitalista autoritário feio rico e sem nenhum tipo de escrúpulos ou vestígios de ser um ser humano? Não tem nada a ver comigo. Eu não quero pessoas que são totalmente diferentes de mim, eu não quero aqueles idiotas com quem eu estudo, eu não quero aqueles otários com quem eu sou abrigada a conviver. Que droga, eu quero uma pessoa assim, não normal, mas, diferente, que não se consiga encontrar num bar tomando cerveja ouvindo pagode e falando de futebol. Quero uma pessoa que se consiga encontrar num show, num movimento, bebendo água e falando de política, de futuro, de ideiais.

Será que agora é tão difícil encontrar um Che Guevara do século XXI?

Tá,forcei. Vamos melhorar: Será que é tão difícil encontrar alguém com 16/17 anos que não pense só na sua vida, mas que queira viver pra mudar a vida de outras pessoas?

Já percebi que onde eu estudo só existem trogloditas idiotas que metade só pensa em futebol e mulher. E a outra só pensa em futebol, mulher e drogas. É, é típico de garotos de 15/16 anos.

Outra coisa que SEMPRE me irrita(e magoa,demais) é quando eu me apaixono(RARIDADE!) de verdade por alguém. Daí eu fico parecendo uma adolescente boba(ah, espera, eu sou uma adolescente! :O), que fica imaginando o cara 25 horas por dia, que não consegue pensar em outra coisa, e que faz de tudo pra impressionar ele. (Até arranjar a sua melhor amiga pra ele... Ai como às vezes eu sou tão estúpida ao ponto de querer me dar um tiro na cabeça D:)

E então você pensa que ele é perfeito. Que não tem nenhum defeito. Até vocês os descobrir. E quando você os descobre, como é frustrante. Mas, se mesmo assim eu não conseguir desistir dele, acontece sempre aquela mesma história: "Somos amigos.Não quero estragar".

Amigo, se não queria estragar a amizade então PARA DE SER TÃO PERFEITO!

As, isso não soou bonito. Eu não tenho mais 11 anos pra pensar assim. (Como se de 11 pra quase 16 fosse MUITO tempo.)

Mas então, melhor eu começar a concluir isso antes que vocês já fiquem entendiados de ler(se você conseguiu ler até aqui, PARABÉNS, vai ganhar mais umas palavrinhas até você dormir de tédio!)...

Não sei como concluir, porque ainda não teve fim. Só sei que eu queria um príncipe encantado. Eu ainda quero ter, como minha irmã tem. (Breve história da minha irmã e meu cunhado: eles se conheceram com 15 anos, ficaram durante 1 anos sendo amigos, minha irmã deu um presente pra ele no dia dos namorados, meu cunhado a beijou. E desde aquele dia eles nunca se separaram. Eles estão casados há um ano. Detalhe: ela tem 28, e ele, quase 29. Tem história mais linda que o amor viver durante 12 anos?)

Acho que eu me cobro muito com essa história, por isso que eu fico idealizando uma pessoa que nunca vai existir. Mas, quem sabe? Quem pode me dar CERTEZA que nunca irá chegar um príncipe encantado num cavelo branco pedindo a minha mão? Pode não ser literalmente, mas eu ainda acredito que há pessoas que acreditam no amor. Eu sou uma delas. E vou esperar, não importa como, não importa por quanto tempo, mas eu vou esperar uma pessoa que também ainda acredite que exista amor, que acredite que sua princesa indefesa está o esperando, e que ainda acredite em felizes para sempre.

" O problema com contos de fadas é que eles levam uma garota ao desapontamento. Na vida real, o príncipe foge com a princesa errada... Ou o feitiço acaba e os dois amantes se dão conta de que são melhores com o que quer que sejam. Mas vou confessar, de vez em quando uma garota consegue seu final de contos de fada. " (Episódio 2/08 - Pret-A-Poor-Jenny - Gossip Girl)